Image default
Novidades Uncategorized

Saiba mais sobre a pesquisa de novas variedades de culturas gm

Vinte e um anos, depois que foi introduzido no Brasil, a biotecnologia abre muitas oportunidades para a produção agrícola nacional. Além do já bem estabelecido de soja, e 130 liberações comerciais concedidos neste país, a nova variedade deve estar no mercado para revolucionar o processo, desde a fazenda até a cidade. Uma das coisas novas, de sair do forno, em breve, diz o pesquisador da Embrapa Soja, e assessor da CTNBio, Alexandre Nepomuceno, é uma nova variedade de soja resistente ao fungo da ferrugem asiática. E fez várias outras mudanças que estão em busca, tais como variedades de soja, que são resistentes à seca, que está actualmente a ser testada pela Embrapa e as plantas que são capazes de identificar a presença de minas subterrâneas, por meio de uma mudança na tonalidade de sua cor.

O pesquisador também é citado na liberação pela CTNBio, de trabalhos de investigação original sobre o uso de insetos para cultivos transgênicos está no solo, tais como mudanças na história da lagarta do cartucho, a fim de reduzir as perdas na safra de milho. A ideia, explica, é semelhante ao que já está aprovado para uso no controle do mosquito Aedes aegypti, que, por meio da introdução de um gene, com a certeza de esterilização de insetos e reduzir a população de mosquitos que transmitem doenças como a dengue e chikungunya.

Nos últimos 28 anos, a produção de grãos no Brasil aumentou mais de cinco vezes, enquanto que a área teve uma expansão de apenas 3 vezes. No entanto, não tem sido revertida para o investimento em pesquisa. Nos Estados Unidos, há uma lei chamada de Seleção, o que significa que 0,5% do valor de cada saca colhida, é revertido para o fundo de pesquisa. Se fosse para ser aplicada no Brasil, estima-se que ele, a safra de 2017/2018, haveria uma contribuição para a Pesquisa e Desenvolvimento de us$ 892 milhões. Ele falou sobre a importância de o país ter políticas para estimular a mente que faz tudo isso de desenvolvimento e retenção de talentos, e os lucros de todo o processo. O pesquisador da Embrapa Soja citado de vários países de todo o mundo estão a trabalhar na formação dos bancos de dados genômicos, é um trabalho que ainda está em seus estágios iniciais no Brasil. Na China, diz que já foi sequenciado o DNA da mandioca, originários da flora.

O painel foi moderado por um professor da Universidade, Luiz Carlos Federizzi, que registrou os caminhos tomados pela biotecnologia no país até os dias atuais. De acordo com ele, o desenvolvimento no decorrer de seus mais de 20 anos, foi um pouco abaixo da expectativa inicial, porque ele foi limitado a apenas quatro espécies. Nepomuceno concluída uma reminiscência da polêmica criada, no Brasil, sobre o uso de culturas geneticamente modificadas no final da década de 1990, ele foi, na verdade, é um grande jogo para os seus interesses. “Um monte de gente perdeu dinheiro. Despencou nas vendas de herbicidas, que foram eventualmente substituído com o Roundup-Ready”, disse ele.

O brasil é o primeiro da planta genes publicada e considerada não-ogm

Eles estão começando com a pesquisa com as variedades com o gene-editado para tornar as plantas mais resistentes aos estresses do ambiente, e mais produtivas. A informação foi divulgada pelo pesquisador da Embrapa Soja, e assessor da CTNBio, Alexandre Nepomuceno, durante uma palestra realizada na tarde desta quinta-feira (6/6) na 1ª rodada da Rede-a cooperação Técnica (RTC) no campo. De acordo com ele, esta é uma tendência que já está em teste, bem como uma variedade de milho no Brasil.

Outra tecnologia que pode revolucionar a indústria agro-negócio é o uso de Este, a chamada de RNA de interferência. Este é um mecanismo natural para desligar áreas do PAÍS. Inicialmente, o maior desafio foi o seqüenciamento deste RNA em laboratório. Recentes pesquisas têm sido capazes de alcançar, e até mesmo se ela lida com o estudo do uso de substâncias que são capazes de serem aplicadas pelo sprinklers para desativar genes indesejáveis em plantas e para o controle de pragas e doenças. A RNA está em sua infância, mas tem potencial para substituir, no futuro, inseticidas, fungicidas e herbicidas, como é uma tecnologia que permite que apenas os genes específicos das espécies-alvo são para ser desligado.

Related posts

O DIODO emissor de luz pode acelerar o processo de desenvolvimento do morango

gabrielsouza

APASSUL, busca construir laços mais estreitos com o setor arrozeiro, rio de janeiro

gabrielsouza

O tratamento de Sementes Industrial | Europa

gabrielsouza
error: Content is protected !!